Itaúna, 22 de julho de 2018

Cadastro

12 de maio de 2018 às 07h00 - Atualizado: 12 de maio de 2018 às 09h57

VLI interdita principal rua da cidade e não informa população

A empresa VLI logística é a responsável pelo ramal ferroviário que corta a cidade (concedido à FCA – Ferrovia Centro Atlântica) e, segundo pessoas que contataram à reportagem, “não dá muita importância para a população das cidades onde atua”. Ou pelo menos esse pode ser o caso de Itaúna, já que a empresa interditou a principal rua da cidade, por dois dias, sem que os motivos fossem explicados. Desde a manhã de quarta-feira, 9, até o momento de confecção desta matéria, por volta de 16 horas da quinta-feira, 10, a Rua Silva Jardim estava interditada na travessia com a Avenida Dona Cota, para realização de obras da empresa. Trata-se da principal via da cidade e que dá acesso ao centro de Itaúna.
A reportagem tentou, por várias vezes, contato com a Assessoria de Comunicação da VLI em Divinópolis, para obter informações sobre os motivos da obra e por que a população não foi avisada, sem sucesso. Transferida a ligação para a citada assessoria, as chamadas não foram atendidas. Moradores questionam o descaso com que a empresa atua na cidade, como nesta ocasião e na altura da buzina das máquinas que passam pela área urbana, principalmente no período noturno, o que se gera sérios problemas para a população, especialmente crianças e idosos.
O problema da buzina em alto volume, mais uma vez, foi tema de manifestação na reunião da Câmara Municipal nesta semana e as informações são de que será elaborado projeto para exigir a colocação de cancelas nas passagens de nível e, assim, possibilitar a redução do volume das buzinas (ou apitos) dos trens da FCA/VLI. À empresa cabe uma explicação pública dos motivos para a interdição da Rua Silva Jardim, para obras em dias de pico. A obra poderia e deveria ter sido agendada e executada nos finais de semana e em horários em que o trânsito fosse menos concentrado, como sábado à tarde ou no domingo.