Itaúna, 22 de outubro de 2018

Cadastro

29 de setembro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 05 de outubro de 2018 às 13h32

SAÚDE

Vereadora reclama de secretária-adjunta

Funcionária não queria liberar ambulância para transportar paciente que necessita de auxílio à respiração (bala de oxigênio)

Na reunião da Câmara da última terça-feira, 25, a vereadora Márcia Cristina fez reclamação em plenário, corroborada pelo colega Antônio José de Faria (Da Lua), em relação ao comportamento da pessoa que denominou como sendo a secretária adjunta (a reportagem apurou que Vanésia Bernardes é quem ocupa o cargo). Segundo a vereadora, foi necessária a interferência de terceiros para que se conseguisse a liberação de uma ambulância para levar uma paciente a Belo Horizonte para realizar exame. Márcia afirmou que a cidadã Silvana, residente na comunidade rural de Cachoeirinha, que faz tratamento pulmonar e aguarda transplante de órgão, necessitava ir à capital fazer um exame e, para tanto, precisaria de uma ambulância, já que somente anda acompanhada de uma “bala de oxigênio”, e que assim, não teria condições de suportar a viagem do ônibus, liberada pela ajunta.
Informou ainda a vereadora Márcia Cristina que a secretária adjunta insistia que só liberaria a ida da paciente no ônibus, que sai de Itaúna às 5 horas da manhã e retorna por volta de 14 horas, com vários outros pacientes, o que seria impossível para Silvana. Disse à vereadora que somente depois de muita insistência e interferência de terceiros é que foi liberada a ambulância. Márcia concluiu afirmando que “falta humanidade a ela”, referindo-se à secretária adjunta. Antônio Da Lua afirmou em sua fala que “essa não é primeira reclamação contra essa pessoa” e também narrou um caso em que um paciente precisava se submeter a um exame de cateterismo e foi necessária a interferência do prefeito para liberar a ambulância.