Itaúna, 23 de março de 2019

Cadastro

02 de março de 2019 às 07h00 - Atualizado: 02 de março de 2019 às 11h43

Alarme falso NO ITAÚ

Suspeita provoca movimentação da PM e notícias falsas causam pânico

Denúncia de assalto se transforma em “crime com vítima de sequestro” e “bandidos fortemente armados”

Com o advento da internet, surgiram os aplicativos como WhatsApp e, na esteira deles, a notícia falsa, também conhecida como “Fake News”. Isso ocorre pelo fato de qualquer pessoa ter acesso a um aparelho de telefone celular e, com ele, exercer a sua “porção repórter”. O problema é que nem sempre as pessoas detêm a informação verdadeira e quase sempre não se preocupam com a veracidade daquilo que divulgam, mais importando “dar o furo”, na tentativa de “ter mais audiência” que o outro. E esse comportamento leva a situações como a ocorrida na tarde de terça-feira, em Itaúna, mais precisamente no entorno da agência do Banco Itaú, na Praça da Matriz. Dali, o fato se alastrou pela cidade, causando pânico, e, inclusive fechamento de lojas próximas, conforme apurou a reportagem.
Tudo começou a partir da informação dos funcionários do banco sobre uma pessoa “em atitude suspeita”, comunicando o fato à polícia. Em seguida a agência foi interditada, aguardando a ação da PM. Cerca de 6 viaturas da PM se dirigiram ao local, fazendo o cerco da agência, inclusive, com a interdição do trânsito na Rua Capitão Vicente. Policiais de arma em punho se aproximaram da agência e fizeram a varredura das imediações. Com a informação de que se tratava de suspeita e não de uma ação efetiva, o policiamento foi desmobilizado. Mas aí já havia se alastrado pela cidade a notícia do assalto.
Algumas mensagens tratavam o caso como “assalto e sequestro de funcionários do banco”. Em outras pontava a existência de “bandidos fortemente armados”. Parentes de pessoas que trabalhavam nas imediações da agência passaram a buscar informações, inclusive na redação da FOLHA, sobre o assunto. Foram momentos de pânico, desnecessários.