Itaúna, 18 de dezembro de 2018

Cadastro

06 de janeiro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 06 de janeiro de 2018 às 10h20

ILUDINDO O ELEITOR?

Promessas de Neider e Fernando continuam no papel

Dentre as muitas promessas de campanha, muito pouco foi realizado neste primeiro ano de mandato. E a principal promessa foi esquecida

No futebol existe a máxima de que “jogo é jogo, treino é treino”. Na política a prática tem sido que o que se promete em campanha é só para garantir os votos e que “o mandato é outra coisa”. Completado o primeiro ano do mandato do prefeito Neider Moreira, parece que esta afirmativa vai se confirmando.
Em vídeos bem produzidos e apresentados pelo cineasta e garoto propaganda Guto Aeraphe, e folhetos impressos, as promessas de campanha, em todos os setores da administração pública, foram apresentadas à população e conquistaram os votos de mais de 30 mil itaunenses. O “Programa de Governo” do candidato foi registrado, com 24 páginas e 325 propostas, abrangendo quase todos os setores da administração (o SAAE, com água, esgoto e resíduos, foi esquecido). Em levantamento da reportagem ficou comprovado que muito pouco do que foi prometido já foi realizado e que a principal promessa de Neider está esquecida “em um canto qualquer”.
Durante toda a campanha de Neider à Prefeitura de Itaúna, o que mais se ouviu falar foi em relação à taxa do lixo. O marketing neidista conseguiu convencer os eleitores de que o maior mal itaunense era a taxa do lixo. Neider não prometeu oficialmente acabar com a cobrança, mas, no mínimo, que iria mudar a maneira de se fazer a mesma. Na verdade, nos primeiros meses de governo, aí já como prefeito, concedeu aumento na cobrança da taxa e deixou de lado as promessas feitas.

Programa de Governo
“impraticável”

Leitura mais aprofundada do Plano de Governo que o candidato Neider apresentou demonstra que este era mesmo para cumprir com a legislação, já que o prefeito Neider não teria como cumprir com a maioria das propostas ali colocadas. São 325 itens, distribuídos em 26 segmentos administrativos, sem constar nele alguma ação proposta para o SAAE, que é uma autarquia municipal que tem a responsabilidade pelo abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação dos resíduos. Áreas essenciais para o planejamento público, com certeza.
No “plano de governo” de Neider e Fernando Franco alguns itens chamam a atenção pela capacidade criativa de redação: “acelerar a transição para veículos menos poluentes”, “evitar expansão urbana”, “melhorar a qualidade do solo”, “melhorar a qualidade do ar”... e outras coisas do gênero. Algumas propostas funcionam mais pelo lado da “vontade de...” do que da realidade proposta, como a de “criar o clube dos servidores” e “implantar um centro médico e odontológico, com especialidades médicas para atender aos servidores e seus dependentes” (seria uma clínica especializada ou um pequeno hospital?).

As propostas (sérias) não cumpridas

Um dos primeiros itens do “plano de governo” de Neider e Fernando Franco fala em ações para os primeiros 90 dias de administração, como “reforma administrativa visando modernizar a administração pública” e “apresentação de um plano de metas”. Na área da saúde, flanco mais atacado pelo candidato que é médico, “acabar com as filas no Plantão”, e “solucionar o problema do Plantão 24 Horas” foram destacadas, como a criação do plano de carreira dos servidores da saúde. Aliás, a proposta era rever o estatuto dos servidores e elaborar outro, o que pode ocorrer ainda nos quase três anos restantes de mandato.
Implantação da Guarda Municipal Cidadã, câmeras de vídeo nos principais pontos da cidade, criação de uma escola de administração e governança municipal, construção de mais creches (das creches iniciadas na administração anterior, apenas a do Bairro Itaunense – que já estava pronta – foi inaugurada. Faltam a do Santa Edwiges e do Cidade Nova). Criação da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, Escola Municipal de Música, implantar/construir ciclovias, campanhas de conscientização ambiental, de coleta seletiva constante, e uma série de outras promessas foram feitas e não cumpridas, até aqui.
Outra promessa muito comentada no período eleitoral era a de “estreitar relações com os governos estadual e federal, porque Itaúna está (estava) ilhada”, como gostava de dizer o candidato Neider Moreira. Já o prefeito Neider reuniu a imprensa, recentemente, para afirmar que não é sequer recebido pelo governador do Estado e a fazer severas críticas ao detentor do poder no estado. E, na Câmara, são constantes as reclamações de vereadores pelo fato de o prefeito não atender a deputados que não fazem parte do “grupo de apoio”, afastando assim a possibilidade de se obter benefícios para a cidade, por via da ação de vereadores junto aos mesmos.
É com esta realidade do primeiro ano de mandato que se abre o segundo ano de um total de quatro anos, com a informação de que em outubro acontecem eleições em que serão eleitos deputados estaduais e federais, senadores, governador e presidente da República. Dependendo do resultado das urnas a situação pode ficar ainda mais complicada para que o prefeito Neider possa tornar realidade as promessas do candidato.