Itaúna, 19 de novembro de 2017

Cadastro

28 de outubro de 2018 às 07h00

Município pede prorrogação de prazo de cessão do terreno para presídio

Tõezinho cobrou construção muitas vezes prometida e Otacília alertou para riscos de indenização a ex-proprietários por mudança de finalidade

Projeto do prefeito, encaminhado à Câmara, propõe a renovação do prazo de cessão do terreno para a construção do presídio em Itaúna, ao Estado, já que os três anos estipulados anteriormente já decorreram, sem a construção. Na discussão do projeto, o vereador Antônio de Miranda (Tõezinho), lembrou que a construção do presídio foi tantas vezes prometida pelo atual prefeito, quando este era deputado e até hoje não saiu do papel. Afirmou que Neider teria dito que o município estaria ilhado, quando Osmando era prefeito e que espera que agora, na condição de prefeito, “não deixe Itaúna ilhada, já que tem parceria com o governador Pimentel, do PT, e consiga a construção do prometido presídio”.
Em seguida, a vereadora Otacília Barbosa informou que existe uma ação dos ex-proprietários do terreno, a ser julgada, questionando o fato de que a desapropriação da área não previa construção de presídio e que o terreno deveria ser destinado à instalação de indústrias. Que a possível construção de presídio no local pode gerar indenização milionária aos ex-proprietários, e que, portanto, era contra o projeto de extensão do prazo de cessão. Com a informação, o presidente da Câmara, Márcio Pinto, que disse concordar com a opinião de Otacília, pediu a suspensão da tramitação do projeto por duas sessões, no que foi atendido por unanimidade pelo plenário.