Itaúna, 19 de abril de 2019

Cadastro

09 de fevereiro de 2019 às 07h00 - Atualizado: 16 de fevereiro de 2019 às 10h11

VIROU CIRCO

Mais baixaria na Câmara

Iago Pranchana se exalta e bate boca com cidadãos durante a Participação Popular, e reunião é encerrada com a presença da polícia

A primeira reunião ordinária da Câmara em 2019, realizada na terça-feira, 5, não terminou. Depois de o vereador Iago Souza (Pranchana Jack) se desentender com dois cidadãos presentes no plenário, o clima esquentou e até a polícia teve que ser chamada. A confusão começou quando o cidadão que ocupava o expediente Participação Popular, Clênio de Souza de Faria, fazia críticas à atuação de políticos em relação à votação do Plano Diretor, e entrou falando em seguida sobre os episódios do ano passado, quando houve denúncia de compra de voto e citou “o pastelzinho” (em relação à fala de Lequinho, constada do áudio), e citou “o palhaço”, em relação Iago Souza, que representa o personagem Pranchana Jack, um tipo de comediante que canta músicas de duplo sentido e usa trajes espalhafatosos. Ao ouvir a palavra “palhaço”, Pranchana se sentiu ofendido e passou a responder, momento em que outro cidadão, o presidente municipal do PT, Jerry Adriane Magalhães, entrou na confusão, fustigando o vereador, gritando e chamando-o de palhaço e de ladrão.
Com palavrões e ameaças, quando chegou, inclusive, a tentar pular o alambrado que separa o plenário da plateia, Pranchana teve de ser contido pelos colegas, principalmente Lucinho de Santanense e Marcinho Hakuna. Com a bagunça formada e a insistência de Pranchana e Jerry em continuar o bate-boca, o presidente da Câmara suspendeu a reunião por 5 minutos. Ao retomar os trabalhos, a discussão continuou e o presidente se viu obrigado a encerrar a reunião. A Polícia Militar teve de ser chamada para conter os ânimos e evitar que ocorresse até mesmo agressão física entre os envolvidos. O vereador Lucinho pediu a gravação ipsis literis da fala do orador que gerou a discussão, o que foi entendido por alguns assistentes como ato de apoio à atitude de Iago Souza, conforme apurou a reportagem.

Alexandre Campos fala sobre o episódio

Com exclusividade, o presidente da Câmara, Alexandre Campos, falou à FOLHA sobre o ocorrido e quais as medidas devem ser tomadas pela Mesa da Casa. Conforme Alexandre, “a Procuradoria da Câmara já está preparando a documentação e, com certeza, serão tomadas medidas em relação tanto aos dois cidadãos como ao vereador envolvido. A Câmara não pode se tornar palco desse tipo de atitude sem que haja punição aos envolvidos”, disse. Conforme apurou a reportagem, as punições podem ser de advertência, tanto a Clênio, Jerry e Gian Carlo Teles Magalhães quanto ao vereador. O presidente também informou que na segunda-feira vai anunciar a formação do Conselho de Ética da Câmara.
O Conselho de Ética terá como primeira tarefa a análise das cerca de 5 denúncias contra vereadores que foram apresentadas no ano passado. Consta que o Partido dos Trabalhadores denunciou os edis Alex Artur (Lequinho), Iago Souza (Pranchana), Gláucia Santiago e Otacília Barbosa pelo caso dos áudios que circularam nas redes sociais no ano passado. As outras denúncias são de autoria da vereadora Otacília contra Pranchana. Mas outras denúncias podem surgir, já que qualquer cidadão pode cobrar medidas da Câmara quando ocorrem fatos como o de terça-feira, 5.
Foi realizada reunião na quinta-feira, 7, convocada pelo presidente da Câmara com os vereadores (somente Joel Arruda não participou por não estar na cidade no momento do encontro), para tratar do assunto. Conforme apuramos, foi conversado com os vereadores sobre o clima de animosidade que está imperando nas reuniões e feito pedido para que “os espíritos sejam desarmados”, visando o bem da cidade. Uma coletiva de imprensa foi anunciada ontem à tarde para segunda-feira, 11.