Itaúna, 21 de abril de 2019

Cadastro

13 de abril de 2019 às 07h00 - Atualizado: 20 de abril de 2019 às 08h58

CRISE NA SAÚDE

Hospital não conseguiu pagar salário de março

Casa de Caridade e Prefeitura pedem socorro à Câmara

Mais um capítulo da falta de dinheiro no Hospital Manoel Gonçalves aconteceu nesta semana. A provedora informou à reportagem na quinta-feira que ainda não conseguiu pagar os salários dos funcionários referente ao mês de março. E apresentou números que mostram créditos no montante de R$ 1.847.937,49 e dívidas de R$ 1.459.961,20, portanto, com saldo de cerca de R$ 400 mil. Somente os repasses da Prefeitura chegam ao valor de R$ 1.287.454,00. Pelo lado da Prefeitura, as alegações são de que, mesmo após anunciar um acordo para fazer os repasses integrais aos municípios, o Governo do Estado continua retendo dinheiro. Na terça-feira, a informação era de que o governo tinha que creditar R$ 800 mil nas contas do município, mas só repassou R$ 300 mil.
Na relação de créditos do Hospital constam R$ 1 milhão relativos aos repasses referentes ao Pronto-Socorro; mais R$ 185 mil referentes ao reajuste destes repasses; R$ 97.453,38 referentes a cirurgias eletivas; R$ 245.453,38 de débitos do IPSEMG; e R$ 320 mil relativos à Sala Vermelha. Assim, mais de R$ 1,2 milhão, referentes aos três primeiros itens, são repasses de responsabilidade do Município.

Câmara é chamada para
ajudar na solução

A reportagem apurou ainda que, como a Prefeitura tem enfrentado sérios problemas de fluxo de caixa devido às retenções de repasses por parte do Governo do Estado, a Câmara foi chamada a ajudar. O presidente do Legislativo, Alexandre Campos, disse que a Câmara tem feito economias e que vai ajudar “no que for possível”. Assim, na próxima semana a informação é de que a Câmara deve repassar R$ 150 mil de suas economias para ajudar na questão. Com mais algum recursos que a Prefeitura pode repassar, o salário do mês de março dos funcionários do Hospital deverá ser quitado.
Por parte do Executivo, a informação é de que “tão logo o Governo cumpra com a promessa de colocar os repasses em dia, o Município vai colocar em dia também os repasses ao Hospital”. A crise financeira da Casa de Caridade está menos grave do que em outras oportunidades, conforme os números apresentados, e será necessário um esforço conjunto para que a solução seja encontrada.

GALERIA DE FOTOS