Itaúna, 16 de agosto de 2018

Cadastro

14 de abril de 2018 às 07h00 - Atualizado: 21 de abril de 2018 às 09h02

Empresas de segurança armada devem ter autorização da PF

Contratação de empresas não autorizadas pode gerar muitos prejuízos

A Macedo Segurança Privada é a única em todo Centro-Oeste que tem a certificação de autorização da Polícia Federal

Ao contratar uma empresa de segurança para dar garantias de tranquilidade a um evento, o contratante deve exigir documento que comprove ser a empresa contratada, autorizada pela PF – Polícia Federal. Caso não tome este cuidado, o contratante corre o risco de ser punido, até com multa em dinheiro, além de acumular outros problemas, como ser responsável por qualquer dano ocorrido. O Centro-Oeste de Minas, segundo apurou a reportagem, é a região que mais comporta empresas não autorizadas pela PF. Somente uma empresa, a Macedo Segurança Privada, de Itaúna, tem esta autorização dentre as muitas que funcionam na região. Outra empresa regularizada funciona em Igaratinga. Em Divinópolis existe uma escola de vigilantes, mas não tem empresa regulamentada para a prestação do serviço. Isso ocorre porque as prefeituras não atuam em consonância com a PF e aceitam o registro das empresas, independente de a mesma ser regulamentada ou não junto à autoridade policial competente. A PF faz fiscalização no setor e informações são de que nas próximas semanas acontecerá ação na região Centro-Oeste.
Algumas empresas alegam que o custo para manter a autorização é alto, e que por isso não o fazem. Mas a necessidade da autorização não é por uma questão burocrática, já que só é dada a partir de uma série de situações a serem atendidas pelas empresas. A principal delas é o curso de vigilante que os funcionários devem fazer, em empresa credenciada pela PF. Estes cursos permitem que o profissional seja preparado para as várias situações que ocorrem nos eventos e que, quase sempre, não têm como serem resolvidas por pessoas despreparadas. Também é necessário que os profissionais sejam registrados, além do preenchimento de um relatório específico, junto a PF, para cada contrato que é feito com a empresa, o que dá garantias ao cliente, na prestação dos serviços.
Assim, a alegação do alto custo para manter a autorização, que deve ser reformada a cada ano, não se justifica, ante a garantia que é dada pela empresa que está regularmente autorizada. Uma das principais diferenças entre uma empresa autorizada e a não autorizada, está na utilização de profissionais não preparados, pelas últimas. Sem a obrigação de atender à legislação, as empresas que não são autorizadas contratam os funcionários por evento e sem experiência e preparo para o exercício da função, buscando reduzir os gastos. Porém, com isso, diminuem a qualidade e a garantia do serviço prestado, além de colocarem o contratante sob-riscos de ser punido e até multado, além de não ter a garantia de segurança efetiva no seu evento/contrato. Ao contratar segurança para eventos ou mesmo para guarda de sua propriedade, comércio e outros tipos de serviços de segurança, exija a autorização da empresa junto à PF, para não ser prejudicado.