Itaúna, 21 de maio de 2018

Cadastro

03 de fevereiro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 10 de fevereiro de 2018 às 10h50

É preciso prudência. Mas, tem notícia positiva

As reações da população nas últimas semanas em relação ao estado deplorável em que a cidade se encontra, nos leva a pensar que a situação administrativa do município está mesmo em stand-by. As reclamações, denúncias e pedido de socorro ao jornal, feitos por moradores, seja da área central ou de bairros, nos levam a acreditar que o prefeito municipal não está preocupado com isso. É muita sujeira, muito lixo acumulado e mato para todos os lados. As fotos recebidas em nosso e-mail, whatsapp, facebook e outras mídias, são assustadoras e motivo de indignação de todos. Os questionamentos são os mais diversos e chegam a colocar em xeque a capacidade administrativa e a competência da assessoria do prefeito. Recebemos tantas imagens nos últimos dias que resolvemos fiscalizar as ruas, e deparamos com as mesmas em pior estado. A nossa conclusão é a de que não há um trabalho de limpeza. O que é estranho, pois, a limpeza urbana é o básico do trabalho de uma administração pública. Causa estranheza o fato de a dívida pública ter subido de forma assustadora nos últimos 12 meses, e fato de o dinheiro arrecadado estar sendo, em sua maior parte, usado para o pagamento da folha de pessoal. Se há muita gente contratada, nomeada e supostamente trabalhando, porque os serviços não funcionam? Pelo menos os básicos, como os de limpeza urbana deveriam estar sendo feitos com presteza, eficiência e diariamente. A persistir essa ineficiência será preciso um mutirão para colocar a capina e a limpeza em dia. Não há outra conclusão, como muito bem tem afirmado a população, a não ser a de falta de competência. Com toda a sinceridade, quando o Senhor Neider Moreira, que lutou anos a fio para se tornar prefeito, vai tomar posse? Vai agir e trabalhar, corresponder às expectativas da população, inclusive da parcela que votou nele, esperando mudanças, eficiência, dedicação e senso público? Estamos tentando todos os dias, buscar ações positivas e efetivas dessa administração, mas não conseguimos uma sequer, que justifique aplausos. Não conseguem nem mesmo propagar o feito básico. Essa semana, por exemplo, a assessoria do Senhor prefeito divulgou, por meio de release, que 400 kits de uniformes foram distribuídos para as cantineiras das escolas públicas e afirmaram que esse feito vai fazer com que as nossas crianças vão estar melhores alimentadas e que o kit de uniforme vai possibilitar uma alimentação de melhor qualidade. Será que vão servir ensopado de uniformes? Afirmar que isso é higiênico, tudo bem, mas melhores alimentadas? Não entendemos. É muita incompetência, e ponto. Por outro lado, a cidade recebe notícias positivas. Na sexta-feira passada os dados do Caged foram disponibilizados e Itaúna mostra, mais uma vez, que independentemente da eficiência da administração pública, ela se transforma, se movimenta e cresce, gera emprego e renda. Os dados mostram que as nossas atividades industriais registram mais geração de empregos, em toda a região Centro-Oeste, e com ótima colocação em todo o estado. Aí, achamos engraçado, a assessoria do prefeito, mais que depressa se preocupa em divulgar o feito. Só não explicam que isso não tem nada a ver com a eficiência da administração pública, que simplesmente não existe até aqui. Por mais de uma vez, nesse mesmo espaço, já afirmamos que a iniciativa privada e o terceiro setor, seguem em frente independente da ineficácia administrativa, que tem mostrado diariamente que trabalha mais para travar o crescimento, com as decisões equivocadas, radicais, e quase sempre políticas, que são entraves ao crescimento. Quando o setor da construção civil se esbarra na burocracia e nos atos inconsequentes de agentes e profissionais mal preparados, em que o setor da indústria não consegue dialogar e que o comércio não consegue sequer ter um alvará sem fazer uma via-crúcis, o setor público está trabalhando é contra o crescimento. Mas mesmo assim, a sociedade civil consegue se sobressair e colocar Itaúna em patamares invejáveis. Na verdade, foi sempre assim, desde os idos de 1900, antes mesmo da emancipação politico-administrativa.