Itaúna, 17 de fevereiro de 2018

Cadastro

03 de fevereiro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 10 de fevereiro de 2018 às 10h50

CONTAS PÚBLICAS

Dívida da Prefeitura aumenta em quase R$ 10 milhões

Em um ano, restos a pagar do município aumentam em mais de 60%

Foi publicado na edição do dia 30 de janeiro, do Jornal Oficial do Município - JOMI, o Relatório de Gestão Fiscal referente ao último quadrimestre do ano passado com a informação que confirma notícias da FOLHA, de que a dívida da Prefeitura tinha aumentado substancialmente. De um ‘restos a pagar’ apurado no mandato anterior, de R$ 14.494.442,00, os restos a pagar do primeiro ano do mandato de Neider Moreira saltaram para R$ 23.714.723,00, ou seja, um acréscimo de R$ 9.220.281,00.
Feitos os cálculos, o aumento na dívida do município, em apenas 12 meses, chegou ao índice de 63%. Isso quer dizer que a dívida do município está crescendo a índices incríveis de mais de 5% ao mês. A continuar nesse ritmo, ao final de quatro anos de mandato a dívida da Prefeitura pode crescer em até 300%, o que seria um verdadeiro desastre administrativo.

Comissionados em alerta:

Folha de pessoal ultrapassa limite

Outro fato que chama a atenção nos dados apresentados é o tamanho da folha de pessoal da administração pública, o que aponta inclusive, para o pequeno índice de reajuste, além do fato de os estagiários, comissionados e contratados não terem entrado no benefício. Os percentuais utilizados do orçamento anual ultrapassaram o que se chama de limite prudencial e pode gerar ação do Tribunal de Contas para que sejam cortados cargos na estrutura, a começar pelos comissionados.
Esse limite é de 51,30% do orçamento e conforme os números divulgados, chegou a 51,58%, portanto, 0,28% acima do limite prudencial estipulado. Na administração anterior o índice foi de 48,14% e o atual prefeito já apontava o inchaço da máquina como ponto a ser combatido.