Itaúna, 22 de outubro de 2018

Cadastro

05 de outubro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 20 de outubro de 2018 às 11h06

EM BUSCA DOS VOTOS

Disputa até o último minuto

Expectativa de candidatos e eleitores vai além do fechamento das urnas

Do momento em que começa a circular esta edição até o primeiro minuto de votação, no domingo, teremos cerca de 48 horas, tempo que pode definir uma eleição. E os candidatos sabem disso e não darão trégua na busca pelo voto. Descanso mesmo só na segunda-feira, dia 8. Até às 16h59 minutos do domingo ainda a tempo de conquistar mais um voto, que pode ser decisivo.
E essa situação cria ansiedade e expectativa, tanto para os candidatos quanto para os eleitores. Será que o trabalho foi o suficiente? Será que votei certo e meu candidato vai conseguir? Essas e muitas outras dúvidas vão durar até que a contagem dos votos seja concluída, apesar das pesquisas e “certezas” de cada um.
Em Itaúna o trabalho tomou proporções maiores e mais intensas nos últimos dias. As esquinas das ruas do centro estão tomadas pelos cabos eleitorais com suas bandeiras e a distribuição de material gráfico falando das virtudes de seus candidatos.
Nos bastidores, muitas informações sobre cada um, a favor e contra. É a batalha pelo voto. A reportagem da FOLHA acompanhou as ações dos candidatos itaunenses e daqueles que têm ligação com a cidade nos últimos dias e apurou que alguns se destacam mais que outros, mas que o eleitor itaunense acolheu bem a todos eles.
Para a disputa da Câmara Federal, Marcinho Hakuna parece levar vantagem sobre Marcílio e Gilberto Enfermeiro. Dentre aqueles que têm ligações com Itaúna, Domingos Sávio, que tem o apoio do grupo osmandista, também está com boas perspectivas. Além dele, Paulo Abi-Ackel, Eduardo Barbosa, Bruce Martins e Arnaldo Gontijo são os que mais aparecem. Também devem ser reforçadas campanhas de outros candidatos em Itaúna, hoje e amanhã.
Em relação à disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa, dentre os itaunenses Alexandre Campos parece com mais destaque, encontrando respaldo em empresas e grupos de apoiadores em toda a cidade. Gustavo Mitre e depois Isac Vieira são outros dois que têm se sobressaído ante os demais. Também disputam votos dos itaunenses, Gislene Cássia e Carlos Jota. Dentre os candidatos com ligação com a cidade, Inácio Franco, Leonídio Bouças, Agostinho Patrus e Fábio Avelar também têm trabalhado muito na cidade.

Disputa pelos votos pra presidente

Itaúna repete a disputa nacional, com Bolsonaro, Haddad e Ciro Gomes obtendo mais apoios. Geraldo Alckmim também encontra algum respaldo. Movimento mesmo tem acontecido em torno do primeiro colocado nas pesquisas. Uma carreata, incentivada por um empresário da cidade percorreu as ruas de Itaúna no último final de semana. Também aconteceu um adesivaço e vários veículos ostentam os adesivos de Bolsonaro. Alguém pagou pelos adesivos e os distribuiu aos itaunenses.
Um manifestação do #EleNão aconteceu na Praça da Matriz no último sábado e amanhã deve se repetir, com várias pessoas se posicionando contra Bolsonaro. Para a manifestação contrária de amanhã os organizadores estão marcando o início às 10 horas. Também vai acontecer a reza de um Terço, na Praça da Matriz, pedindo a intercessão de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, para dissipar o clima de beligerância da atualidade brasileira.

Governo e Senado

Acompanhando as manifestações em relação aos candidatos ao Governo, apenas Anastasia tem feito ações na cidade, com a coordenação do grupo osmandista. A maioria absoluta dos candidatos que disputam votos aqui, com propaganda nas ruas, apoia Anastasia. Romeu Zema vem em seguida, com poucas manifestações favoráveis a Pimentel. Já na disputa ao Senado, Rodrigo Pacheco, Dinis Pinheiro e Carlos Viana, são os mais citados nas manifestações de eleitores. Ana Alves, itaunense candidata ao Senado pelo PCO, não tem feito campanha na cidade.
A sequência de votação neste ano é a seguinte: Deputado Federal, Deputado Estadual, Senador 01, Senador 02, Governador, Presidente. Assim, é interessante que o eleitor faça a sua “colinha” para não errar na hora do voto.