Itaúna, 26 de setembro de 2018

Cadastro

08 de setembro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 15 de setembro de 2018 às 10h54

JOVENS QUEIMADAS EM CAJURU

Delegado desmente boato e nega prisões

Polícia Civil dá andamento às investigações em sigilo

Delegado desmente boato e nega prisões Polícia Civil dá andamento às investigações em sigilo O delegado responsável pela Delegacia de Carmo do Cajuru, Dr. Wesley Amaral de Castro, desmentiu os boatos de que teriam sido feitas prisões dos suspeitos no caso da morte das jovens de 19 e 17 anos, cujos corpos foram encontrados parcialmente carbonizados em uma estrada de terra na cidade vizinha, no dia 29 de agosto. Segundo Dr. Wesley, ninguém foi preso ainda e as afirmações sobre supostas prisões na Delegacia de Itaúna ao longo desta semana seriam “boatos de rua”. “A gente não tem pressa na investigação. Temos celeridade, sim, mas não vamos fazer nada correndo para não fazer nada errado. Quando houver novidades, vou comunicar a assessoria da Polícia Civil e convocar uma coletiva de imprensa”, explicou o delegado, que destacou ainda que as investigações correm em sigilo para não serem prejudicadas. Brenda Lorraine Santiago da Silva, de 19 anos, e a adolescente de 17, R. C. F. S., foram encontradas em uma estrada na localidade conhecida como “Serra do Galinheiro”, zona rural da cidade de Carmo do Cajuru, por pessoas que passavam pelo local. As jovens moravam em Itaúna. Brenda teria passagens por tráfico de drogas e a suspeita da PC é que as duas tenham envolvimento com o tráfico. As vítimas tinham marcas de golpes de arma branca pelos corpos, que foram queimados parcialmente.