Itaúna, 22 de outubro de 2018

Cadastro

05 de outubro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 20 de outubro de 2018 às 11h06

VARRIÇÃO

Construtora de Salinas assumiu o serviço

Processo licitatório terminou na tarde de sexta para empresa iniciar o serviço na segunda

No início da semana passada a FOLHA recebeu informações de que os servidores contratados pelo SAAE que faziam a varrição da cidade já haviam sido demitidos. O problema estava no fato de a empresa que assumiu o serviço ainda “não havia assinado o contrato com o Município, até a manhã de sexta-feira”. Acompanhamos o processo licitatório para a contratação da empresa, durante toda a semana passada e, apenas na tarde de sexta-feira, foi publicado o resultado do julgamento do recursos no processo licitatório, que confirmou a Construtora Alicerce MG – uma faz-tudo que tem em seu objeto de constituição a prestação de serviços de construção, mão de obra, coleta de resíduos, comércio de materiais esportivos, de móveis e de peças automotivas – com sede em Salinas, Norte de Minas.
No julgamento do recurso impetrado por uma das concorrentes, a comissão de licitação da Prefeitura chegou à conclusão, depois de longa análise, que deveria manter o resultado inicial, dando vitória à Alicerce, mas concedendo prazo para outra concorrente apresentar nova planilha e, em seguida, submeteu a decisão à autoridade superior, que manteve o resultado. Tudo isso com a urgência de que, na segunda-feira a nova contratada já deveria estar atuando, sob pena de a cidade ficar sem varrição.
Na Câmara, na terça-feira, a vereadora Otacília Barbosa pediu informações sobre o processo licitatório que contratou a Alicerce. Como informamos em edições passadas, o serviço vai custar cerca de R$ 148 mil/mês aos cofres públicos.