Itaúna, 19 de novembro de 2018

Cadastro

03 de novembro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 17 de novembro de 2018 às 10h28

Ponto de Vista

UM NOVO BRASIL A maioria elegeu Jair Bolsonaro (PSL) como presidente do Brasil e uma festa maior que final de campeonato de futebol tomou conta da Jove Soares na noite de domingo (28). Em Itaúna, reduto eleitoral conservador, o ex-capitão do exército teve votação esmagadora, com 77,16% (37.146 dos votos válidos) frente a Fernando Haddad (PT), 22,84% (10.993). Cansado dos reflexos da corrupção na política, o povo deseja renovação. A renovação veio com um governo de extrema direita, numa eleição decidida nas redes sociais e repetindo a escolha de países como EUA, Itália e Hungria. Desejo de coração que Bolsonaro seja capaz de recolocar o Brasil nos trilhos, trabalhando em pontos fundamentais para a nossa recuperação econômica, social e moral. Penso que investir prioritariamente em infraestrutura é o caminho mais rápido para o Brasil voltar a protagonizar entre as potências emergentes, o BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China). O Brasil precisa produzir, exportar, gerar empregos, trabalho e renda para o seu povo. Isso depende de capacidade de investimentos e a revisão da carga tributária sem, obviamente, passar por cima de direitos adquiridos. Reformas da Previdência e do Judiciário são outros desafios fundamentais para o novo governo.

BRASIL (2) A união dos ministérios de Meio Ambiente e Agricultura é um começo ruim. Não se mistura áreas com claros confitos de interesses.

PREPARANDO TERRENO Em entrevista ao MGTV de quarta-feira (31), o deputado eleito Gustavo Mitre (PSC) anunciou recursos de R$ 300 mil para o Hospital Manoel Gonçalves, além de três ambulâncias, para Itaúna, Carmo do Cajuru e Oliveira, cidade em que também tem reduto eleitoral. Gustavo, que não é bobo, já abre caminhos para o governo de Romeu Zema (Novo). Durante o telejornal, elogiou o partido do governador eleito, lembrou que integrou o quadro de filiados antes de se candidatar e disse que o Novo tem tudo para tornar o Brasil, a longo prazo, um “país de primeiro mundo”.

ITAÚNA NO MAPA DA POLÍTICA Experiente nos bastidores, Gustavo tem tudo para recolocar Itaúna no mapa da política, junto com o vereador e presidente da Câmara, Marcinho Hakuna, que surpreendeu na campanha de 2018 ao alçar lugar ao sol no PSL, levantando a bandeira de Bolsonaro. Empresários que se abstiveram da política de Itaúna nos primeiros anos do atual governo e fizeram campanha para o presidente eleito também têm responsabilidade nessa construção. Ou vão se abster novamente?

VETO REJEITADO Prefeito Neider Moreira (PSD) sofreu mais uma derrota na Câmara, esta semana, com a rejeição unânime do veto ao projeto de lei da opositora Otacília Barbosa (PV) que reduz a cobrança proporcional da Taxa do Lixo na zona rural. Alguém precisa colocar na cabeça do primeiro escalão (incluindo parte do secretariado) que vaidade não leva a nada. Um governo de elite não representa o povo. Muito pelo contrário. Só planta a discória na cidade.

RENA IRMÃOS AULER Também na Câmara, o vereador Giordane Alberto (MDB) apresentou fotos de uma cerca construída próximo à ferrovia, entre os bairros Padre Eustáquio e Várzea da Olaria, que dificulta a passagem de pedestres e alunos de uma escola próxima. Segundo o edil, a travessia foi direcionada a um único ponto, a calçada estreitada, e duas áreas de estacionamento suprimidas. Procurado pela coluna, o presidente do Rena, Alexandre Maromba, disse que a obra é realizada pela Construtora Minas Lar, empresa contratada pela JVF Empreendimentos, proprietária do terreno, e o Rena será apenas o inquilino da área, onde será construído um supermercado.

RENA (2) Maromba alega que o cercamento é uma exigência da Gerência de Trânsito, oriunda de Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV). A previsão é de que o Rena Irmãos Auler gere cerca de 60 empregos diretos. A inauguração está prevista para a primeira quinzena de novembro.

FALE COM A COLUNA viuitauna@gmail.com

Colunas recentes de Bruno Freitas - Ponto de vista

Nenhum resultado encontrado