Itaúna, 20 de janeiro de 2019

Cadastro

12 de janeiro de 2019 às 07h00 - Atualizado: 19 de janeiro de 2019 às 11h22

Coluna do Atlético

No último domingo, dia 06/01/19, foi comemorado o Dia de Reis. Nesse dia, com certeza, muitos fizeram a simpatia da semente de Romã, para não faltar grana no ano todo. Lembro e falo dessa data, pois foi em 06/01/2003 que nos deixou um dos maiores nomes do futebol de Itaúna e BH e que era o atleticano mais apaixonado da cidade. Falo do Vicente Inocêncio, popularmente conhecido como Vicentão. Como jogador, atuou no América, do Rogério do Padre Nilo, na década de 1950. Após abandonar o futebol, voltou para Itaúna e se tornou o massagista do Esporte Clube Itaúna. Vicentão era um piadista de mão cheia, e com ele não tinha tristeza. Ele faleceu vítima de um infarto fulminante no antigo bar do Dilon, no bairro das Graças, do Dia de Reis, por volta das 18 horas. O Vicentão, já tinha escapado da morte, pois estava no ônibus, naquele fatídico acidente, quando o trem de ferro atropelou o ônibus do Esporte na travessia da linha, perto do Hospital. Nesse acidente morreram alguns torcedores que acompanhavam o time. Contei essa história porque é sempre bom lembrar nossos bons atleticanos que agora estão na casa do Pai, depois de rica e boa passagem neste mundo de Deus. Isso até que chegue nossa vez.
Quanto ao nosso Galo das Minas Gerais, temos a dizer que Rever, Guga, Jair e Igor foram contratados para reforçar (sic) o time para tentarmos algum título neste 2019. Terça-feira, dia 15, o atleticano Gegê Aguiar, primo do radialista galista Maurício Aguiar, completa mais um ano de vida e recebe nossos parabéns. Estendemos esta saudação ao meu compadre atleticano Marcelo Nogueira Santos, que sopra velinhas na próxima quarta-feira, 16/01, parabéns. Lucas 2, 14 “Glória a Deus no mais alto dos céus e na terra paz aos homens objetos da benevolência divina”. Feliz 2019!

Colunas recentes de Rubens Paulino - Tomé - Coluna do Galo