Itaúna, 23 de setembro de 2018

Cadastro

21 de abril de 2018 às 07h00 - Atualizado: 12 de maio de 2018 às 10h00

Coluna do Atlético

Como foi difícil escrever esta coluna no outro final de semana 15/04/2018. Primeiro, na sexta-feira, minha irmã Bianca, que lutou 90 dias contra um AVC hemorrágico, entregou sua vida a Deus. E veio o início do Brasileirão em que o Galo mostrou a que veio: lutar para não ser rebaixado. Perder de virada para um time “cabeça de bagre” como o Vasco da Gama por 2x1, é uma vergonha. Como não estava disposto e de baixo astral, não vi esta pelada e preferi um filme na TV para melhorar o coração. É muito sério a situação do Atlético em 2018, com um time que é um arremedo de equipe de futebol.
Na quarta-feira, podendo perder até por três gols em Fortaleza, o time (sic) foi à capital do Ceará enfrentar o ferroviário pela Copa do Brasil no belo estádio Castelão e quase dá um vexame daqueles. Perdemos por 2X0 no primeiro tempo e conseguimos apenas empatar em 2X2. Jogamos muito mal. Uma vergonha. Neste final de semana, temos a segunda rodada do Brasileirão e mais “coro” vem por aí, desta vez é contra o Vitória, no antigo Horto, onde quem jogava lá perdia, mas agora os visitantes fazem a festa para a decepção dos apaixonados alvinegros.
Mudando um pouco de assunto, amanhã se comemora o 518º aniversário do Brasil que não tem nada de bom, para que se possa comemorar, pois o que vemos atualmente e para o futuro é de doer o coração. Na última coluna o pessoal da redação colocou o Dr. Délio com 79 anos, mas o certo é 75 anos de idade. 2º Timóteo 4,7 “Combati o bom combate, terminei a carreira, guardei a fé”. Saudades Bianca...

Colunas recentes de Rubens Paulino - Tomé - Coluna do Galo