Itaúna, 20 de julho de 2018

Cadastro

07 de abril de 2018 às 07h00 - Atualizado: 28 de abril de 2018 às 10h27

Coluna do Atlético

Não fosse 1º de abril, seria difícil de acreditar na vitória galista sobre o favorito e até então invicto no Rural/18 da Sicoob. Antes da partida, o favoritismo azul era enorme, isso segundo toda crônica brasileira. Embora não termos ganhado nada com a vitória, pelo menos tiramos a invencibilidade Azul, que pode ganhar domingo, mas não com zero km. Vamos lá: Victor, boas defesas, embora não fosse muitas, 7; Patric, até ele jogou bem, 7; Leonardo Silva, melhorou o que jogava anteriormente, 7; Gabriel, foi aceitável, embora não chegou ao nível do ano passado, 6; Fábio Santos, foi bem, mas o gol foi no seu setor, 6; Adilson, ótimo, foi um dos gigantes galistas, 8; Elias, foi bem sem chegar a brilhante, 7; Luam, a raça e atuação de sempre, 7; Cazares, outro dos melhores do time, 8; Ricardo Oliveira, dois gols e perigoso sempre, 8; Otero, três assistências para todos gols galistas, 9. Entraram e pouco fizeram: Arouca, Yago e Thomas Andrade, 5.
Na quarta-feira, pela Copa do Brasil e com algumas ausências, recebemos o Ferroviário do Ceará, no Horto, e fizemos o que tinha de ser feito: ganhamos por 4x0 e pelo menos na lógica, emplacamos a nossa classificação para a próxima fase. Amanhã, no Mineirão, podendo perder por um gol, enfrentaremos a favoritíssima raposa, que tem futebol para vencer. Fica agora o problema do técnico no Atlético. Pelo que já fez, o Thiago Larghi merece ser efetivado, mesmo que não ganhemos o Rural, e enquanto isso ninguém fala dos imprescindíveis reforços para o Brasileirão/2018.
Hoje é o Dia da Saúde e é o que desejo a todos os leitores da FOLHA do Povo, minha esposa e à Bianca, minha mana. Eclesiástico 38,1-2ª: “Honra o médico por causa da necessidade, pois foi o altíssimo que o criou. Toda a medicina provém de Deus”.

Colunas recentes de Rubens Paulino - Tomé - Coluna do Galo