Itaúna, 20 de janeiro de 2019

Cadastro

15 de dezembro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 12 de janeiro de 2019 às 11h56

Coluna do América

Os adversários do América em 2018 (Palmeiras, Flamengo, Inter, Grêmio, São Paulo, Santos, Cruzeiro...) passaram. Em 2019 serão Atlético Goianiense, Bragantino, Botafogo SP, Brasil de Pelotas, CRB, Cuiabá, Londrina, Operário PR, São Bento, Vila Nova de Goiás e mais outras 10 equipes. Pelas palavras do presidente Salum, o Coelho tinha de R$55 a R$ 60 milhões de orçamento na série A. Na segunda divisão serão R$25 a R$30 milhões. Não foi somente o erro de um pênalti que levou o time de volta a série B e à perda do orçamento. Os erros da diretoria com as contratações, pois todos os jogadores contratados nada acrescentaram ao time, foram desastrosos. Os erros dos treinadores, sendo a insistência com o Adilson Batista e seu esquema retranqueiro o que deixou o time 11 rodadas sem vitórias na fase fi nal do campeonato foi o pior dos erros. Essas foram as causas do rebaixamento do nosso time. Derrotas para o Paraná (principalmente a que aconteceu em Beagá), empates com o Ceará (tomou gol de pênalti nos acréscimos), empate com o time reserva do Grêmio no Independência, empate com o Atlético, perdendo gols que tornaram o Vitor o melhor em campo (2º turno), e muitos outros resultados ruins, fi zeram o Coelho perder pontos essenciais para continuar na elite. E não adianta continuar chorando os erros. A diretoria americana, o treinador, nós, torcedores, todos temos é que levantar a cabeça. Mas pergunto: como aprender com os erros cometidos se a diretoria e o time voltam a cometer os mesmos erros dos anos anteriores? Como esquecer o ano de 2018, em que o time esteve na 9ª posição da tabela e terminou o campeonato na 18ª posição? Sei que foi o melhor ano do América na série A (chegou aos 40 pontos pela primeira vez), mas o fracasso no fi nal foi de chorar... Preciso voltar a comentar com alegria (é o que mais quero), mas a memória de uma temporada cheia de erros (18 derrotas) ainda está batendo muito forte no meu peito. Abraço Verde.

Colunas recentes de Rogério Augustus - Coluna do América

Nenhum resultado encontrado