Itaúna, 16 de agosto de 2018

Cadastro

20 de janeiro de 2018 às 07h00 - Atualizado: 10 de fevereiro de 2018 às 10h50

Coluna do América

O América iniciou o Campeonato Mineiro com uma vitória de virada sobre o Patrocinense. Como a maioria dos jogos do meu Coelho no ano passado, o time joga por um único resultado: a vitória. Não importa se tiver jogado bem, se dominou ou se o jogo foi equilibrado. O esquema do time do Enderson Moreira é para marcar 3 pontos. A diferença de um gol é constante nos jogos americanos. São raros os jogos com diferença de dois ou mais gols. É assim que o Enderson gosta, e haja coração para nós torcedores. Sobre os jogadores recém-contratados, a torcida espera um melhor desempenho nas próximas partidas. E o próximo adversário será a URT, domingo 21.01, às 19h30min em Patos de Minas (jogo difícil, pois o time de Patos venceu o Uberlândia, lá no Triângulo na estreia), e depois, na 3ª rodada pega o Tupi, no Indepa (19h30min - 4ª feira - 24.01). O jogo com o Patrocinense foi morno no 1º tempo. A primeira finalização foi aos 29’ com Zé Ricardo chegando como elemento surpresa na área adversária e chutando para fora. Mas quem abriu o placar foi o Patrocinense, aos 35’. Em um contra ataque, Leomir completou um cruzamento, surpreendendo João Ricardo.  E os jogadores do Coelho só cruzavam bola na área, principalmente para o Rafael Moura, porém sem nenhum perigo. No 2º tempo, com 1’, o Coelho empatou. O estreante Aylon deixou o marcador no chão e cruzou. A bola desviou no goleiro Neguete, que falhou e deixou o gol vazio. Sem goleiro e de cabeça, Giovani fez 1x1. Aos 33’, Renan Oliveira fez boa jogada pela direita, cruzou na pequena área, Neguete, falhou novamente, a bola bateu em Diogo Borges e foi parar na rede. Com um gol contra, o América virou e venceu por 2x1. Esta semana, eu, com a camisa do Coelho, estava pedalando pela Jove Soares, quando vi um menino de 11 anos, pedalando também, com a camisa do Galo. Acelerei e passei por ele, e brinquei: “Coelho na frente”.  Passou um pouquinho e ele me ultrapassou e disse: “pedala América” e foi embora. Eu olhei para ele, longe, e pensei: ‘não tem nem respeito com o Bicampeão Brasileiro...’. É... o meu América vai ter que pedalar muito mais do que eu, neste 2018... Abraço verde. 

Colunas recentes de Rogério Augustus - Coluna do América

Nenhum resultado encontrado